setembro 3, 2015

Câmaras de bronzeamento – risco comprovado para o surgimento do câncer de pele

Câmara de bronzeamentoOs raios solares além de provocarem o envelhecimento da pele, são carcinógenos grupo 1, ou seja, existe comprovada relação entre a exposição solar e aumento de risco de surgimento de câncer de pele. Durante um longo período este efeito foi atribuido aos raios ultrvioletas B (UVB), porém atualmente sabe-se que os raios ultravioletas A (UVA) também são carcinogênicos.

 

As câmaras de bronzeamento são fontes de raios ultravioleta. São muito utilizadas por mulheres para manter o “bronze”, principalmente, em locais onde o Sol não se faz presente de forma constante. Revisão recente da Organização Mundial da Saúde e a Agência Internacional de Investigação sobre o Câncer, reclassificaram estas câmaras do grupo 2A (provavelmente carcinogênicos) para o grupo 1, onde existe suficiente evidência para relacionar o bronzeamento artificial com o risco de câncer de pele.

 

Quando a utilização destas câmaras se inicia antes dos 30 anos de idade, o risco de melanoma aumenta em  75%. Devemos lembrar que o melanoma é o câncer de pele mais letal e afeta jovens com grande frequência. O risco de melanoma ocular também encontra-se aumentado.

 

Com esta revisão fica sacramentado que o bronzeamento artificial com uso de luzes não deve ser realizado por nínguem.

 

Agora, o que fazer se há uma grande vontade de adquirir àquela coloração bronze?

 

Procure o seu dermatologista, existem alternativas saudáveis e sem riscos para a sua saúde.

 

E, não se esqueça: faça o auto-exame da pele regularmente!

Compartilhar: / / /
Destaques
cirurgia.net
Recomendações