setembro 13, 2015

Hiperidrose (suor excessivo)

Hiperidrose (suor excessivo)Transpirar é uma função biológica, necessária para regular a temperatura do corpo. Entretanto, quando o suor passa a ser excessivo, impacta diretamente a qualidade de vida, representando um desconforto que pode interferir nas atividades diárias e nos relacionamentos sociais e profissionais.

A hiperidrose é o aumento exagerado na produção de suor, devido à hiperatividade das glândulas sudoríparas. Afeta cerca de 1% da população mundial e, embora não seja grave, causa extremo incômodo e constrangimento.

Pode ocorrer sem causa definida (hiperidrose primária), ou estar relacionada a outras doenças (hiperidrose secundária), como hipertireoidismo, distúrbios psiquiátricos, alterações neurológicas, menopausa, obesidade, etc. As áreas mais comumente afetadas são as axilas, palmas, plantas e o rosto.

Há basicamente dois tipos de tratamento para a hiperidrose primária: o clínico e o cirúrgico. No tratamento clínico podem ser usadas substâncias antiperspirantes tópicas, com o objetivo de reduzir a produção do suor. Outra alternativa é a aplicação da Toxina Botulínica (Botox® ou Dysport®) no local afetado, que passa a inibir a produção do suor. O procedimento é realizado no consultório dermatológico, sem necessidade de internação, e o paciente pode retornar às suas atividades no mesmo dia. O efeito dura cerca de 6 a 12 meses, dependendodo caso, podendo então ser repetida a aplicação. O tratamento cirúrgico consiste na simpatectomia (secção dos nervos que estimulam a produção do suor), uma cirurgia realizada sob anestesia geral, com necessidade de internação hospitalar. A escolha do tratamento adequado depende da intensidade do suor.

Compartilhar: / / /
Destaques
cirurgia.net
Recomendações