Câncer de pele

Câncer de peleO câncer de pele é um tumor formado por células da pele que se multiplicam de maneira desordenada dando origem a um novo tecido (neoplasia). Entre as causas que predispõem ao início desta transformação celular, aparece como principal agente a exposição prolongada e repetida à radiação ultravioleta do Sol.

Embora o câncer de pele seja o tipo mais frequente de câncer, correspondendo em torno de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, quando detectado precocemente apresenta altos índices de cura.

O câncer de pele atinge principalmente pessoas com mais de 40 anos, de pele clara, que queimam com facilidade e nunca se bronzeiam. Cerca de 90% das lesões se localizam em áreas que ficam expostas ao Sol. A proteção solar é, portanto, a maior forma de prevenção da doença.

São três os tipos mais comuns de câncer de pele: Carcionoma Basocelular, o mais frequente e com menor potencial de malignidade. Seu crescimento é lento e muito raramente se dissemina à distância. O Carcionoma Espinocelular, que tem crescimento rápido e as lesões maiores podem enviar metástases para outros órgãos. É bem menos frequente que o basocelular. É comum acometer áreas de mucosa aparente, como boca ou lábios, cicatrizes de queimaduras antigas ou áreas que sofreram radiação (raios X). Pode ocorrer também a partir de ceratoses actínicas, que são lesões pré-cancerígenas decorrentes da exposição prolongada e repetida ao Sol. E o Melanoma, que é o câncer de pele mais perigoso. Frequentemente envia metástases, sendo de extrema importância o diagnóstico precoce para sua cura. Pode surgir a partir da pele sadia ou de nevos (sinais) escuros. Apesar de ser mais frequente em éreas expostas ao Sol, o melanoma também pode ocorrer em áreas não expostas.

Examinar a própria pele com frequência é uma ferramenta importante para se detectar precocemente o câncer de pele. Qualquer alteração em sinais antigos, como: mudança de cor, aumento de tamanho, sangramento, inflamação, ou surgimento de áreas pigmentadas ao redor do sinal, justifica uma consulta ao dermatologista.

Faça o auto-exame da pele regularmente!

Compartilhar: / / /
Destaques
cirurgia.net
Recomendações