setembro 1, 2015

Transplante de coração e risco aumentado de câncer de pele

câncer de pele é o tipo de câncer mais comum dentre todos os cânceres. Os principais fatores de risco desencadeantes são os raios ultravioleta – provenientes do Sol. Outro fator de risco importante é a imunossupressão que ocorre em pacientes transplantados. Com a evolução da medicina, existe cada vez mais pacientes transplantados que apresentam uma taxa de sobrevida longa. Desta forma, o risco de surgimento de câncer de pele ao longo dos anos se torna cada vez maior.

 

Dentre todos os transplantes de órgãos sólidos, o de rim é o mais realizado no Brasil. Nesta população, o risco de câncer de pele pode estar aumentado em até 250x. Por conta disto, o sistema de vigilância deve ser constante.

 

Já os transplantes de coração são realizados em poucos centros no Brasil. Mas, importante revisão de prontuários de 312 pacientes transplantados de coração demonstrou que o risco de desenvolvimento de câncer de pele nesta população pode ser 2x maior quando comparada com os pacientes que foram submetidos ao transplante renal.

 

Este estudo reforça a necessidade de se orientar um paciente que foi submetido a um transplante e encontra-se em uso de medicações imunossupressoras. Além das medidas de precauções básicas – como o uso de fotoprotetores, de roupas adequadas e evitar exposição solar, principalmente nos horários de pico, a visita a um dermatologista deve ser realizada pelo menos uma vez ao ano.

 

Use filtro solar diariamente!

 

Compartilhar: / / /
Destaques
cirurgia.net
Recomendações