setembro 3, 2015

Unhas postiças e risco de câncer de pele

As unhas artificiais vem a cada dia se tornando mais populares. O seu uso é tanto para o aumento cosmético das unhas como para proteção no caso de pessoas que tem o hábito de roe-las.

O problema é que para a aplicação de algumas destas unhas artificiais (como a de acrigel e de fibra de seda) utiliza-se um equipamento que emite radiação ultravioleta (UV). A composição da luz UV deste aparelho é semelhante ao das câmaras de bronzeamento (95% UVA e 5% UVB) assim como a quantidade de radiação recebida por metro quadrado.

Os fabricantes destas câmaras de emissão de luz UV para as unhas alegam que as lâmpadas servem para limpar as unhas, matar bactérias residuais e torna-las mais saudáveis. Os salões utilizam estas câmaras para a aplicação de unhas postiças, secagem de polimentos e sobre películas “protetoras”.

Atualmente, as câmaras de bronzeamento são consideradas fatores de risco para o surgimento de câncer de pele, como explicado em blog anterior. Por analogia de raciocínio os procedimentos de unha que necessitam de exposição UV também devem ser considerados de risco para o surgimento de câncer de pele.  Para corroborar com esta afirmação, foi publicado em conceituada revista de dermatologia – “Archives of Dermatology” de julho de 2009 –  relato de casos de câncer de pele nas mãos de pessoas que se expunham à câmara UV para as unhas.

Caso queira usar unhas postiças, não utilize métodos que precisem de exposição UV.

Compartilhar: / / /
Destaques
cirurgia.net
Recomendações